Home » Estudar no Exterior » Mestrado na França: Guia Completo para se Candidatar e Estudar!

Mestrado na França: Guia Completo para se Candidatar e Estudar!

A França é um dos países mais cobiçados por quem deseja estudar mais a fundo a história, a moda, a gastronomia e, claro, um dos idiomas mais bonitos do mundo. Não é à toa que o mestrado na França é o sonho de vida de vários brasileiros.

Mas na hora de começar a planejar essa caminhada, várias são as dúvidas que podem surgir, como: a escolha do curso e da universidade, a definição de onde morar, os custos, a possibilidade de bolsas etc.

Esse é o seu caso? Continue lendo este artigo e veja os pontos principais para se candidatar e estudar na França!

Mestrado na França: quais são os tipos?

Mestrado na França

Mestrado na França

Antes de mais nada, é importante compreender como funciona o sistema de ensino francês. Isso porque, se comparado com o nosso, o estudante verá que existem muitas possibilidades de mestrados. Os títulos também variam muito, o que pode confundir algumas pessoas, sendo possível encontrar opções de “mastère”, “master” e “mastère spécialisé”.

Na França, o mestrado se refere tanto a um grau como a uma “série”, sendo a última etapa universitária entre o bacharelado e o PhD. Ela foi introduzida em 1999 como parte da Declaração de Bolonha – que cria uma estrutura semelhante de cursos em todas as universidade europeias.

Assim, foi regularizado que o mestrado na França seria uma combinação de dois anos separados, o master 1 (M1) e o master 2 (M2). Considerando que a graduação brasileira tem, geralmente, entre 4 a 5 anos, nós podemos nos candidatar ao master 2 na França. Porém, é importante destacar que o M2 é bem mais puxado que o M1 (por isso alguns brasileiros preferem começar pelo M1 para se ambientar com o país e com a língua).

Tipos de mestrado

Agora vamos falar das nomenclaturas – que costumam causar muita confusão em quem está na fase de procura por cursos e opções.

O Mastère Spécialisé, MS, foi criado em 1985 e era uma espécie de curso de pós-graduação que podia ser cursado em 1 ou 2 anos logo após o bacharelado. Os cursos são avaliados de acordo com o conteúdo, a duração e as necessidades profissionais. Ao fim do período, o estudante deverá apresentar a sua tese de mestrado.

Já o Mastère em Science (MSc) é mais recente, criado em 2002 e o título é concedido, em grande parte, aos cursos ministrados em inglês, por no mínimo 3 meses e que sejam concluídos com uma dissertação de pesquisa.

Os títulos “Master” (mais genéricos) não costumam ter tanta fiscalização como os demais, sendo que algumas instituições privadas podem optar usar essa designação para os seus próprios graus.

Além de “Master”, eles também podem ser chamados de “professional master”. Mas essas nomenclaturas são diferentes do “Mastère Spécialisé”, que é protegido pelo governo francês e passa por uma inspeção mais rígida.

Também existem opções de mestrado com os rótulos britânicos de “Master of Art” (para os cursos de humanidades) e “Master of Science” (para os cursos científicos).

Lembrando que um mestrado sem o reconhecimento do governo ou do CGE não significa necessariamente um curso ruim, pode ser que ele tenha sido criado recentemente e ainda esteja no processo de reconhecimento. Por isso, é importante pesquisar bastante antes de optar pelo programa.

Master Professionnel e Master Recherche

Além de todas essas subdivisões, os mestrados na França ainda podem ser categorizados em Master Professionnel ou Master Recherche.

Os profissionais são parecidos com os cursos de graduação e estão mais voltados à inserção no mercado de trabalho. Por isso, muitos contam com um longo período de estágio e a tradicional tese pode ser substituída por um relatório do estágio.

Já o mestrado de pesquisa é mais semelhante aos que temos no Brasil. Esse modelo é o pré-requisito para quem deseja ser admitido em um curso de doutorado ou PhD e é mais voltado a área acadêmica.

Como me candidatar a um mestrado na França?

Como no Brasil, o primeiro passo é encontrar a instituição que ofereça um bom programa na área do seu interesse. Lembrando que a França possui excelentes universidades que sempre aparecem na lista das melhores da Europa e do mundo.

  • Escolher a universidade

Algumas das mais recomendadas são:

  • École Normale Supérieure (ENS): referência mundial em ensino e pesquisa. Situada em Paris, ela foi fundada durante a Revolução Francesa e é uma universidade pública. Também possui campi em Cachan e Lyon.
  • École Polytechnique: é reconhecida na área de engenharia, com excelência nas áreas de ciências e tecnologia. Os cursos de mestrado são voltados para a prática da inovação.
  • Université Paris-Sud: também conhecida como Universidade Paris 11, é uma das mais reconhecidas internacionalmente na área científica com muita visibilidade acadêmica e parcerias ao redor do mundo. Ela é uma universidade pública e oferece formação em Direito, Tecnologia, Saúde, Economia, Gestão e Ciências.
  • Université Pierre et Marie Curie (UPMC): também é chamada de Universidade Paris 6 e é uma instituição pública fundada em 1968 com grande prestígio internacional. Ela oferece formação em áreas diversas, mas o principal departamento é o de medicina.

E a Sorbonne?

É o nome mais tradicional da França e na década de 1970 foi desmembrada em 13 universidades independentes. Em 2018, houve um processo de reunificação realizado por duas das suas “universidades filhas” a Paris IV e a UPMC.

Depois do desmembramento, apenas 4 universidades passaram a levar o nome original: Paris I Panthéon-Sorbonne, Paris III Sorbonne-Nouvelle, Paris IV Paris-Sorbonne e Paris V René Descartes (com a faculdade de Ciências Humanas e Sociais recebendo o título de Sorbonne).

Hoje a maioria das universidades é reconhecida pelo número (Paris IV, Paris V etc) e isso torna difícil para a academia internacional reconhecer e diferenciar cada instituição.

Entre as novas universidades, a reconhecida como “principal herdeira” é a Paris-Sorbonne que ocupa os prédios tradicionais e ainda conta com os cursos de humanidade reconhecidos da antiga Sorbonne, como o de História da Arte, além da prestigiada escola de comunicação e jornalismo, CELSA.

Campus France ou Candidatura direta

Depois de escolher a universidade, o estudante pode fazer a candidatura pelo site Campus France ou diretamente com a instituição. Pelo Campus France, será preciso preencher um formulário online com os dados sobre seu percurso acadêmico, suas intenções de estudo e também o dossiê eletrônico com diploma, histórico escolar e nível de proficiência em francês.

Se a universidade não estiver conectada ao Campus France, você terá que fazer a candidatura direto pelo site da instituição de ensino. Para isso, você deve entrar em contato com o responsável pelo curso e entender quais são os documentos e pré-requisitos.

Além desses documentos, a instituição poderá solicitar cópia do seu currículo vitae, carta de motivação e até o histórico do ensino médio.

Quanto custa fazer um mestrado na França?

Estudar na França é uma ótima ideia para os estudantes internacionais, já que o país é um dos 4 que mais recebem alunos estrangeiros do mundo, e entre eles é o que oferece custos menores.

Na França, o governo custeia uma parte significativa do valor das formações. Em média, um estudante internacional terá um investimento anual de 14 mil euros.

Para os estudantes europeus e brasileiros com dupla cidadania europeia, as taxas anuais para mestrados são de 243 euros. Já para os alunos não-europeus o valor é de 3770 euros por ano para nível de mestrado.

Você pode conferir aqui a lista das universidades custeadas pelo governo e que aplicam esse valor.

Agora se a ideia é estudar em uma universidade particular, você terá que pagar valores mais altos. As anuidades podem variar de 3 a até 10 mil euros e é bom conferir com cada universidade.

Bolsas de Estudo

A França é reconhecida por oferecer várias bolsas aos estudantes internacionais. Uma boa ideia é conferir o site Campus Bourses para ver as opções disponíveis.

Outra ideia é ficar de olho nas bolsas oferecidas pelo Ministério de Relações Exteriores, que oferecem financiamento de 25% dos valores. O programa Eiffel é o destinado às formações de mestrado e doutorado.

Quem também oferece bolsa aos estudantes estrangeiros é o Ministério do Ensino Superior e Pesquisa, mas elas são destinadas aqueles com caráter social e é preciso residir na França legalmente por pelo menos 2 anos.

Qual é o custo de vida na França?

O custo de vida pode variar muito da cidade e também dos seus hábitos. Em geral, os estudantes franceses gastam 300 euros mensais em alimentação e em torno de 400 euros com transporte (os estudantes possuem benefícios nos transportes e isso pode ajudar a economizar). Além disso, tudo dependerá de onde você vai morar, já que as moradias estudantis são mais econômicas.

Depois de todas essas dicas, ficou mais fácil entender como fazer um mestrado na França? Aproveite e compartilhe este post com os seus amigos!