Mestrado em Geografia: tire todas as suas dúvidas!

O mercado está em alta para o geógrafo, com opções variadas de atuação que vão além da sala de aula, como empresas privadas, órgãos públicos e em centros de pesquisa.

Porém, para conseguir se destacar é extremamente importante que o profissional se mantenha atualizado e continue se especializando, justamente por isso muitos têm optado pelo mestrado em geografia.

Se você também está pensando em investir nessa titulação, continue a leitura e saiba tudo sobre este assunto!

Como é o mercado de Geografia?

Mestrado em Geografia

Mestrado em Geografia

Como dissemos na introdução deste artigo, o mercado para o geógrafo está aquecido, principalmente graças a evolução da tecnologia, como as imagens via satélite, a internet e a computação cartográfica – tudo isso tem auxiliado a modificar a profissão e a abrir novas possibilidades de atuação.

Para quem quer se dedicar a essas novas tecnologias existem várias possibilidades, como atuando junto a empresas privadas urbanas e rurais, órgãos públicos e setores de pesquisa (tanto públicos, como privados).

A licenciatura também continua sendo um setor interessante, principalmente porque faltam professores de geografia em todos os níveis de ensino. Além desse profissional, existe carência de técnicos em órgãos de planejamento que trabalhem com cartografia e estatística.

Outra opção bem interessante é a área de geopolítica, que permite opções variáveis de atuação – como é o caso dos diplomatas do Itamaraty. Outra possibilidade é o IBGE, com pesquisadores que se dedicam exclusivamente a esse ramo e também no próprio Ministério do Planejamento.

Vale à pena investir em um Mestrado em Geografia?

Responder a essa pergunta dependerá muito dos seus objetivos profissionais. Um mestrado é um programa bastante intenso e que pode exigir muito do estudante (tanto financeira, como pessoalmente). Por isso é muito importante que você analise o quanto essa titulação pode ser decisiva para atingir suas metas profissionais.

Se você pretende atuar na área pública, por exemplo, o mestrado pode ajudar bastante, já que a titulação conta pontos importantes na maioria dos editais. Quem deseja se tornar pesquisador, precisa investir no mestrado, afinal essa é a titulação mínima para começar a pleitear bolsas e fazer carreira nesse setor.

O mesmo acontece com quem deseja se tornar professor universitário, já que as melhores universidades do país apenas contratam professores com, no mínimo, a titulação de mestre.

Para quem deseja atuar junto a empresas privadas, é essencial tentar entender o quanto essa titulação é valorizada no seu setor e também na corporação em que você atua.

Hoje, os mestres estão muito valorizados pelo mercado de uma maneira geral, já que são poucos os profissionais com essa titulação. Porém, vale à pena analisar o seu nicho em específico, tentando entender se essa pós-graduação realmente trará os benefícios que você espera para a sua carreira.

Como funciona o mestrado em geografia?

O mestrado em geografia é ofertado por várias universidades públicas e privadas do Brasil e do exterior.

No país, a duração média dos programas é de dois anos, sendo que, geralmente, no primeiro ano, o aluno tem aulas gerais sobre disciplinas que ajudarão a produzir a sua tese e no segundo ano ele se dedica exclusivamente à tese.

Para quem desejar, existem possibilidades de bolsa de pesquisa de órgãos como o Capes e a Fapesp, com valores mensais que variam entre R$ 1500 e R$2100. Mas, é preciso atenção quanto ao edital, já que algumas dessas bolsas não permitem que o mestrando tenha nenhum vínculo empregatício – ou seja, é necessário ter dedicação total ao seu mestrado.

Durante o curso, o mestrando terá de desenvolver uma tese de mestrado e, ao final, deverá apresentá-la a uma banca composta pelo seu professor orientador e por outros especialistas do setor. Se aprovado, ele receberá o título de mestre.

Mestrado acadêmico ou mestrado profissional em geografia: qual escolher?

Para quem pensa em se tornar mestre em geografia, desde 2009 existe uma nova opção: o mestrado profissional. Esse programa é voltado para aquelas pessoas que não têm certeza se desejam se dedicar exclusivamente à pesquisa (como engatando um doutorado na sequência) e nem possuem muita familiaridade com a academia.

Alguns programas de mestrados profissionais possuem convênio com empresas ou órgãos, auxiliando que o aluno vivencie questões que vão além da teoria, mesclando conteúdos e vivências teóricas e práticas.

O mestrado profissional em geografia da UNESP, por exemplo, possui parceria com comitês de bacias hidrográficas diversas, ajudando os estudantes a tornarem suas pesquisas mais práticas e aplicáveis às necessidades de políticas públicas.

Justamente por essa questão mais prática, é que o mestrado profissional tem sido muito bem visto pelo mercado, sendo uma opção interessante para quem pretende ir além da pesquisa tradicional.

Já o mestrado acadêmico continua sendo a melhor opção para quem deseja se tornar um pesquisador licenciado de órgãos nacionais e internacionais, sendo o caminho mais tradicional para isso.

Vale à pena salientar, contudo, que ambos os programas oferecem a titulação de mestre – e o estudante, após aprovado, poderá trabalhar como professor universitário e em outros programas que exijam essa titulação.

Como ser aprovado em um mestrado em geografia?

Mestrado em Geografia

Mestrado em Geografia

Para ser aprovado para começar a realizar um mestrado em geografia, o candidato terá de passar por várias etapas, sendo que a maioria das universidades dispõe em seus sites os editais indicando como é feita essa seleção.

Contudo, antes de começar a se inscrever nos processos seletivos, é muito importante que você faça uma pesquisa das universidades que oferecem programas de mestrado e que tenham linhas de pesquisa semelhantes aos seus interesses.

Isso porque, cada universidade costuma pesquisar determinados temas e, como você terá de enviar um pré-projeto no processo de seleção, é fundamental que ele esteja alinhado com os temas pesquisados pela instituição.

As etapas mais comuns são:

  • aprovação em uma prova de conhecimentos específicos baseada na bibliografia disposta no edital;
  • aprovação na prova de proficiência em língua estrangeira (normalmente as opções são inglês ou espanhol);
  • pré-projeto aprovado pela banca, que costuma analisar a relevância do tema, o quanto ele está de acordo com a linha de pesquisa da universidade, a justificativa e o cronograma proposto;
  • aprovação na entrevista com os professores orientadores do programa, que costumam analisar o seu currículo profissional e lattes.

Onde fazer meu mestrado em geografia?

Existem inúmeras universidades que oferecem mestrado em geografia. A nossa dica é que, antes de se decidir, você faça uma pesquisa no site do Capes.

O Capes é o órgão que regulariza os programas de mestrado e doutorado no país e possui uma escala de notas que vai de 0 a 7. Os mestrados com nota 5 ou mais são considerados excelentes. O ideal é que você escolha aqueles que possuem, no mínimo, nota 3.

Os melhores programas, com nota 7, são ofertados pelas seguintes universidades:

  • Universidade de São Paulo (USP);
  • Universidade Estadual Júlio de Mesquita (UNESP);
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

E, então, depois de ler este conteúdo, ficou mais claro como funciona um mestrado em geografia? Se você ainda tem alguma dúvida, deixe um comentário pra gente!

Créditos da miniatura: Created by freepik – www.freepik.com

Scroll Up